Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

MARÉ ALTA

porque a liberdade está a passar por aqui

Silly Season

 

A Silly Season consiste num período de pouca actividade que resulte em notícia para a comunicação social. Normalmente acontece no período de verão, sobretudo em agosto e isso é evidente porque os jornais ficam carregados de não-noticias só para encher páginas.

Curiosamente este ano a silly season está como a meteorologia, atrasada. O verão foi recheado de notícias sobre a campanha para as eleições legislativas onde as eleições presidenciais já queriam marcar a sua agenda.

De há 15 dias a esta parte vivemos a silly season de 2015.

Pegando nas eleições presidenciais, falava-se muito mais destas no verão do que agora, altura em que os candidatos já estão a formalizar as suas candidaturas. Foram chamados a intervir apenas para responderem à questão “se fossem já PR, o que fariam?”

Tirando isso, temos passado 15 dias a medir o tamanho das pilas de António Costa e Pedro Passos Coelho. Pedro Passos Coelho diz que a dele é legitimamente maior, e é, mas António Costa ajudando por Catarina Martins e Jerónimo de Sousa (de olhos fechados como diria Álvaro Cunhal) a puxar, consegue uns centímetros a mais.

Umas bocas da direita e consequentes pateadas da esquerda, um aplauso de pé a esquerda à rejeição da moção de rejeição (mas levantaram-se a custo, sobretudo na bancada do BE que tiveram de ser empurrados pela Mariana Mortágua a bem da imagem de convergência).

Uma bancada de direita que não sabe que se elegem deputados e não Primeiros-Ministros, um Primeiro-Ministro que não sabe que tem de responder em parlamento e não mandar ouvir debates da TSF…

E pronto, tem sido só isto.