Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

MARÉ ALTA

porque a liberdade está a passar por aqui

Revoluções para o Séc. XXI - Redução do Horário Laboral

 

O nosso cérebro funciona como um jogo de tetris. Com base nos conhecimentos adquiridos ao longo da vida, analisamos cada bloco na sua forma e conteúdo e procuramos encaixar na posição que pareça mais logica e adequada.

É deste modo que cada um de nós, acedendo ao mesmo bloco informativo, formula opiniões distintas.

Por vezes chegam-nos blocos, raros, que contêm tal informação que desconstroem alguns ou muitos blocos dos blocos anteriormente assentes na rua razão e lógica.

Um destes blocos reconfiguradores chegou-me pela voz de Andrew McAfee numa palestra na TED Talk.

Tudo o que ele disse já eram blocos por mim conhecidos e provavelmente fazem até parte do conhecimento generalizado, no entanto veio trazer-me um novo encadeamento ao meu entendimento sobre o presente e o futuro da nossa sociedade.

Esta palestra reporta à tomada de posse dos postos de trabalho por equipamento tecnológico em substituição de pessoas.

O que isto traduz é que independentemente das medidas que se tomem para promover o emprego, a verdade é que este está condenado a aumentar.

O Governo demissionário procurou eliminar o desemprego eliminando as pessoas. Eliminou-as forçando-as a emigrar, eliminou-as camuflando-as nas estatísticas enfiando-as em formações de qualidade duvidosa e pouquíssima ou nenhuma utilidade pratica no IEFP.

Por outro lado legislou em função das necessidades das entidades patronais ao aumentar a produtividade pelo aumento da carga horária de trabalho. Ou seja, não aumentou a produtividade porque essa reporta a uma relação de produção por hora e essa provavelmente até piorou arrastada pela desmotivação generalizada.

Resumindo este Governo trabalhou em nome dos números e das empresas, longe de trabalhar para os portugueses.

Evolução das taxas de desemprego

Evolução tecnologica

 

 

Uma das medidas lógicas para contrariar o desemprego será o processo inverso ao promovido pelo Governo demissionário, ou seja, diminuir a carga horária de 40 horas semanais para 35 horas semanais não só para a função pública como para todos os trabalhadores.

Isto forçaria à criação um posto de trabalho por cada 8 já existentes. Criando cerca de 550 mil novos postos de trabalho diminuiríamos o desemprego para menos de metade do actual e por contágio iria aumentar o salário médio nacional.

De qualquer forma, poderíamos diminuir a carga horária laboral até zero que a tecnologia continuará a progredir e a ocupar-se dos postos de trabalho existentes pressionando assim o desemprego.

Então como garantir uma existência com dignidade com acesso a bens e serviços se já não existem empregos que garantam um salário?

(continua)