Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

MARÉ ALTA

porque a liberdade está a passar por aqui

Quantas desculpas para cobrar tão caro?

 

 

O Eurostat confirmou hoje que Portugal tem a energia mais cara da União Europeia e António Mexia diz que a culpa é dos impostos.

Nos outros anos as desculpas foram outras nomeadamente os custos dos combustíveis fósseis a repercutirem-se na factura ao consumidor.

Tenho que dizer que os impostos na energia eléctrica, como em quase tudo, são extremamente elevados. Numa altura em que tentamos modificar comportamentos abdicando de combustíveis fósseis trocando-os por um comportamento mais sustentável baseado em energias renováveis, não se entende que combustíveis fosseis e energia eléctrica partilhem uma gigante carga fiscal.

Mas esta não se modificou nos últimos tempos só que não iria cair muito bem dizer que a culpa é dos combustíveis fosseis dias depois de ter sido noticiado que Portugal sustentou-se durante 4 dias consecutivos apenas com energias renováveis.

Diz António Mexias que o preço está em linha com a Europa, que o problema reside nos impostos e no poder de compra.

Bom, mas a ser verdade, isto indicaria que os custos com o trabalho também seriam inferiores na EDP, logo o custo seria inferior. Ou quer ele dizer que a EDP paga vencimentos em linha com a Europa, o resto do país é que não?

Ou as desculpas vão variando ao longo do tempo conforme pareça melhor?

Diria que os custos seguem em linha, apesar da carga fiscal, sobretudo por dois factores:

1º O vencimento principesco de António Mexia que é hoje o CEO mais bem pago de Portugal.

António Mexia recebe 1,8ME fora prémios e dividendos das acções da empresa. A este juntamos João Manso Neto com quase 1 ME na EDP Renováveis.

2º Os lucros dos accionistas da EDP. Só os chineses arrecadam anualmente cerca de 146 ME e estes apenas têm 23% do capital da empresa.

Já os chineses da China Three Gorges alegam que os custos elevados ao consumidor reportam ao investimento nas renováveis.

Todos têm desculpas para tudo mas dificilmente abdicam dos seus pornográficos lucros.

A ideia de que a electricidade é um serviço público fundamental, de que os custos com a energia dificultam a economia não só dos cidadãos como nas empresas é algo que se fala por alto mas como uma história do passado.

Na verdade parece que tirando medidas avulsas e espaçadas no tempo, ninguém quer falar muito neste tema.

 

Fica a questão: porque é que uma empresa que gera tanto lucro a investidores externos e paga salários principescos e que vive sobretudo de infra-estruturas públicas nos faz pagar a electricidade mais cara da Europa?