Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

MARÉ ALTA

porque a liberdade está a passar por aqui

HTML tutorial

Está Lisboa a ser vendida a Turistas?

lisboa a ser vendida.jpg

 

 

 

Sou uma recente Lisboeta obrigada a mudar de casa. No meu calmo bairro, o prédio foi vendido. Imediatamente o meu pensamento foi contra os turistas e a ocupação da cidade por turistas. Este pensamento idiota demorou menos de 15 segundos porque eu também sou proprietária de uma casa e sei que nós, os proprietários, queremos um inquilino estável na casa. Mudar permanentemente de inquilino é um inferno com contratos, fiadores e documentos. Eu espero sempre que os meus inquilinos fiquem o maior tempo possível. O tempo que se perde com a mudança de inquilino é verdadeiramente precioso e é dinheiro. Por isso, decidi investigar porque foi vendido o prédio e a quem. Bem, a casa foi vendida porque o senhorio precisa de dinheiro para obras em sua casa e na dos filhos. E precisa do dinheiro o mais rápido possível. As casas estão a ser vendidas a portugueses que as querem habitar e não sub-alugar. Choque! As casas estão a ser vendidas para habitação permanente.

Não é minha intenção negar o fenómeno airnb e a turistificação da cidade. E não é minha intenção negar que os preços das casas subiram. Mas faltam-me dados para afirmar que “nós” estamos a ser expulsos de Lisboa pelos turistas quando a grande maioria fica apenas 3 / 4 dias em hotéis e hostels. Mais ainda, conheço casos de donos de casas a quem o aluguer da mesma a turistas os livrou das preocupações com créditos bancários.

Por isso, o debate está inquinado ou a minha perceção é que está? Vejo Lisboa mais bonita e mais cara, vejo uma verdadeira cidade europeia. Onde jantar fora é um luxo mas onde ainda é possível sair com amigos sem ficar sem orçamento. Aliás, como na grande maioria das cidades europeias. E vejo turistas a trazerem dinheiro e vida a bairros antes esquecidos e vejo uma Europa que se move e se conhece. E vejo uma Lisboa que se renova.

E arranjei casa. Em Lisboa. E no bairro.

1 comentário

Comentar post