Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

MARÉ ALTA

porque a liberdade está a passar por aqui

Cavaco: "Que se lixe a Constituição em nome do superior interesse nacional"

Aníbal Cavaco Silva demonstrou hoje que NÃO é o Presidente da Republica de Portugal nem dos portugueses. É Presidente da Republica social-democrata.

Os partidos políticos portugueses têm algumas questões quanto ao uso da Constituição portuguesa. Não é novidade o Governo de Passos Coelho apresentar legislação, Cavaco promulgar e o Tribunal Constitucional intervir em sentido contrário.

Hoje Cavaco Silva, que nunca me representou nem o fará, volta a dar um pontapé na constituição e chama Passos Coelho a constituir Governo e pior, anuncia-o nas televisões.

Ora diz a Constituição da Republica Portuguesa:

 

“Artigo 187.º (Formação) 1. O Primeiro-Ministro é nomeado pelo Presidente da República, ouvidos os partidos representados na Assembleia da República e tendo em conta os resultados eleitorais. 2. Os restantes membros do Governo são nomeados pelo Presidente da República, sob proposta do Primeiro-Ministro. “

 

Ora, Cavaco não tomou em consideração os resultados porque estes ainda não estão todos escrutinados. Adiciona-se o facto de não ter ouvido mais nenhum partido para além do PSD.

A estes factos acrescem os factores numéricos. Mesmo que os lugares que faltam apurar (quatro) fossem todos da coligação PaF, esta não teria maioria absoluta. Quer isto dizer que todos os partidos que elegeram deputados se encontram à esquerda da coligação e se assim o desejarem, podem coligar-se para governar ou simplesmente aceitar viabilizar um Governo do PS e negociar ponto-a-ponto.

 

Cavaco borrifa-se literalmente para todas estas nuances e variáveis e dá a primazia aos seus, ignorando a constituição…

Um sujeito que jura respeitar a constituição e legislação portuguesa e defende-la, mas depois nunca a consulta regendo-se por agendas próprias, não pode ser o Presidente de Portugal.

Não admira portanto, não sendo este o representante do português médio, que seja constantemente ofendido.

Preocupa-me no entanto o facto de ele lá estar porque foi eleito, e pior, reeleito “em nome do superior interesse nacional” da malta laranjinha…