Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

MARÉ ALTA

porque a liberdade está a passar por aqui

HTML tutorial

Alarido a mais sobre Mário Centeno

 

 

A malta anda efetivamente empolgada com a candidatura de Mário Centeno à liderança do Eurogrupo.

Naturalmente que uns são favoráveis à candidatura e outros ou são contra ou inventam mil problemas para o caso de ser eleito.

 

Para aqueles que acham que Mário Centeno é Durão Barroso, devo dizer que é uma ideia com base em falta de informação ou má fé.

O eurogrupo não é mais do que uma reunião mensal, informal, entre os Ministros das Finanças dos países que usam o Euro, tendo por objetivo coordenar as politicas económicas destes países.

Ora esta candidatura só faz sentido se for feita por um Ministro das Finanças e a hipótese de continuar como Presidente só se verifica no caso do Ministro perder o seu cargo de Ministro.

O Professor Marcelo, como é costume, mete o bedelho em tudo e sobre tudo tem de dar o seu lamiré. Direi que começa a ser, mais do que importuno, irritante.  O Presidente da Republica, preside e garante o bom funcionamento das instituições de soberania. Não se substitui a elas nem é seu papel lidera-las nem meter cunhas televisionadas.

 

Depois temos os alarmistas, ou porque dali virá o diabo, ou que é o salvador do 4º resgate, não por vergar a Europa às ideias nacionais, mas por ser vergado para um regresso à austeridade.

Schauble disse que Centeno era o Ronaldo das finanças, mas está visto que ou não percebe de finanças, ou de futebol, ou de ambos.

É de lembrar que Schauble queria austeridade até ao tutano, o BBF (best friend forever) de Vítor Gaspar.

Centeno fez-se ao mar com o vento a favor e livre de intempéries. António Costa conseguiu arranjar uma geringonça que até agora tem mantido o barco à tona e de vela aberta.

Portugal passou a ser a cena da moda, não é só o turismo, é em tudo. Até a geringonça, que implica pactos com o diabo, passou a ser visto como uma espécie de “Monstros e Companhia”, monstros de facto mas fofinhos.

Para nós, portugueses, a eleição de Mário Centeno resulta em pouco mais que nada. Qual foi a vantagem de ter Durão Barroso como Presidente da Comissão Europeia? Zero.

É um facto que é difícil encontrar alguma portugalidade em Durão Barroso, impossível encontrar ética ou seja o que for que vá para alem do seu umbigo e as trocas de favores que em ultima instancia servem o seu umbigo, mas facto é que Centeno também não fará diferença nenhuma, pelo menos mais do que a que já faz.

É, ou será, apenas uma posição de prestigio para Centeno que o Governo e a comunicação social transformarão em prestigio nacional.

É só isso e nada mais que isso.

A ser eleito, é só mais uma coisa a confirmar Portugal como o país da moda. Aqueles tipos do sul da Europa, que se pensava ser parte de Espanha e que afinal até têm umas coisas porreiras. Praias, vinho, bacalhau, pastel de nata e Cristiano Ronaldo.