Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

MARÉ ALTA

porque a liberdade está a passar por aqui

HTML tutorial

Actualizações de Ano Novo

 

 

 

Nunca entendi muito bem a razão destas fronteiras temporais. Isto talvez tenha começado às 23:59 do meu ultimo dia com 17 anos e as alterações do minuto seguinte, já com 18 anos e todas as possibilidades e responsabilidades associadas à passagem desse minuto.

Quando muda o ano, todas as passagens de ano, é ali criada uma fronteira temporal psicológica como se entrássemos noutra vida, noutra dimensão, noutra realidade. “Este ano é que vai ser… “.

 

É verdade que natal é sempre que um Homem quiser e isso é cada vez mais, verdade. E se assim é para o natal, também o é para os aumentos tributários. Ainda assim, independentemente das datas escolhidas pelo “Homem” para outros natais, o 25 de dezembro é sempre Natal e dia 1 de Janeiro é sempre dia de atualização dos impostos.

 

A determinada altura da minha vida, trabalhei no departamento comercial de determinada empresa. Nos departamentos comerciais, aprende-se a falar de uma forma diferente. A ser sempre positivo, a nunca falar “aumento” ou “custo” e ter um discurso “strait forward” para que o interlocutor não tenha tempo de pensar no lado negativo do barrete que se lhe está a enfiar. Este, embalado no positivismo do discurso, diz a tudo que sim.

E esta lengalenga toda porquê?

Porque o Governo, no 1º de Janeiro, aumenta a carga fiscal nos combustíveis e justifica assim: “No Orçamento do Estado para 2018 seguiu-se uma política de estabilização ao nível da tributação indireta, procedendo-se a uma mera atualização de taxas no que respeita aos impostos especiais de consumo, que foi efetuada tendo por referência o valor da inflação previsto. Importa, pois, proceder à atualização, ao nível da inflação, do valor das taxas de ISP a aplicar no ano de 2018 a estes produtos, em linha com o Orçamento do Estado.”.

Repare-se que não é um aumento, é uma mera atualização.

“ah pronto, se é só uma mera atualização, tudo bem. Aumentos de impostos é que não…”

Valha-nos o aumento no SMN que dá para pagar isto e muito mais… (também atualizado no 1º de Janeiro”