Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MARÉ ALTA

porque a liberdade está a passar por aqui

Indie quê? IndieotaFESTAval

Abaixo transcrevo o último texto de opinião publicado no Diário da Região:

Opiniao_Diario-Reg_2016-09-02.jpg

É já no próximo mês de Setembro, entre dia 8 e 10, que o Montijo receberá (o que se espera ser) a primeira edição do IndieotaFESTAval. Certame cujo cartaz é composto exclusivamente por novas bandas e autores nacionais, que se movimentam pelo meio mais subterrâneo, isto é, ainda sem a visibilidade e notoriedade desejada. Aquilo a que se convencionou chamar de universo Indie, que não é mais do que artistas a tentarem singrar na música por modo próprio, recorrendo apenas à sua arte.

 

A ideia não podia ser mais pura. Um grupo de jovens que, simplesmente, gostariam de ver na sua cidade as bandas que costumam ouvir na rádio e na net. Bateram a umas portas; empenharam muito do seu tempo; passaram algumas noites mal dormidas. E o resultado final estará patente nos 3 dias de festa, que contarão com diversas actuações, e que pode ser consultado no seguinte endereço: https://indieotafestaval.wordpress.com/#content. As sonoridades abrangerão um vasto leque musical, das mais melodiosas às mais ásperas. O certame terá lugar em 2 palcos distintos, a saber: TimeOut Bar e Bota’baixo Bar, ambos no centro do Montijo.

 

Curioso é o facto de nesse mesmo período, grosso modo, ter lugar a terceira edição da Feira Quinhentista da Aldeia Galega. Será uma oportunidade única de cruzar o tradicional com o moderno. Uma simbiose que com certeza resultará numa salutar interacção entre públicos, que se deslocarão à cidade por diferentes motivos, mas que podem ser surpreendidos e saírem desses dias de mescla cultural um pouco mais ricos.

 

Vulgarmente se diz que no Montijo nunca se passa nada. Se assim é, o segundo fim-de-semana de Setembro será excepção. E como tal deve ser aproveitado. O IndieotaFESTAval é uma iniciativa particular, mas que tenta estabelecer parcerias com privado e público, envolvendo assim a comunidade naquilo que se espera vir a ser uma grande celebração da cultura musical. Na minha modesta opinião este evento pode colocar o Montijo na rota dos principais festivais de Verão, deixando a sua marca indelével na cultura alternativa. Sim, estou a colocar a fasquia alta. Por isso mesmo deve ser acarinhado pelos montijenses e pelas suas instituições. Até porque esta iniciativa pode muito bem tornar-se num importante dinamizador da economia (e cultura) local. Caso o evento seja um fiasco, ninguém pode dizer que não tentaram. Mas fiquemos cientes que quem mais perde é a própria cidade.

 

Eu estarei presente nesta celebração da música portuguesa. Assim, daqui por uma dúzia de anos, quanto o IndieotaFESTAval tiver créditos firmados na cena alternativa nacional poderei orgulhosamente afirmar: eu estive naquela primeira edição... E foi espectacular!

indie.bmp