Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MARÉ ALTA

porque a liberdade está a passar por aqui

Je Ne Suis Pas #BE

Defender uma causa não tem forçosamente que ser o mesmo que incorporar em si as características da causa. Eu defendo muitas causas sem que eu seja o objecto dessa defesa.

O Bloco de Esquerda apossou-se das características provocatórias do Charlie Hebdo e consumou um acto de terrorismo contra si próprio.

 

O resultado deste cartaz que acabou por não sair à rua foi uma quantidade infinita de memes, uns de humor sobre o suposto humor do BE, outros com piadas futebolísticas a outro Jesus e as piadas de oportunas da oposição mais conservadora. Mas mais do que as piadas sobra a falta de piada, este cartaz resultou numa oportunidade para os conservadores saírem da toca e apontarem o dedo contra a aprovação da igualdade de direitos.

“Estão a ver como eles são…?”

Os religiosos e os que se dizem religiosos lá vieram exigir um pedido de desculpas e o BE não pediu desculpas mas veio a terreiro desculpar-se da pior maneira dizendo que a frase não é sua nem de sua autoria fazendo parte de um movimento… e que queria provocar o debate sem tabus.

Bom, apenas conseguiu a ira de alguns, duas petições fraquinhas e em rigor um partido politico não é um jornal satírico nem sequer é um movimento. E devemos acrescentar a responsabilidade de ser um partido com deputados eleitos no nosso parlamento e no Parlamento Europeu.

A mim, como ateu, a tentativa de piada nada me afecta.

A mim, português criado num país de tradições católicas, a piada nada me afecta.

Mas posso dizer que a tentativa de piada nem sequer faz sentido porque em última analisa a única comparação possível seria com um pai biológico ausente e um pai adoptivo presente. E mesmo a ideia de Maria ser barrica de aluguer não se encaixa porque ela não cedeu o filho a ninguém. Na melhor ou pior das comparações ou podemos dizer que ela se deixou inseminar de livre vontade por outro que não José ou podemos considerar que foi inconscientemente violada.

Em suma, o BE conseguiu que se falasse mal de si, não conseguiu que se falasse nada do objectivo do cartaz, e toda a argumentação quer do BE quer da desconstrução ou justificação da suposta piada só revelam um acto completamente falhado de Catarina Martins.

Tão intempestivo foi o acto que até Marisa Matias se desmarcou desta iniciativa.

Se estivéssemos à porta de eleições, este erro teria tanto efeito no BE como a notícia das subvenções vitalícias teve para Maria de Belém.